terça-feira, 6 de outubro de 2009

Eli Manning poderá jogar. Maaaas.....


......terá que conviver com a dor. Essa é a opinião dos médicos e fisioterapeutas dos GIANTS, sobre a contusão sofrida pelo quarterback no último jogo, contra Kansas City. De acordo com o Dr. Steven Weinfeld, médico chefe de cirurgias no pé e tornozelo do Departamento Ortopédico do Hospital Mount Sinai, em New York, essa lesão pode ser tratada com enfaixamento do pé, compressa e palmilha especial, além do uso de algum anti-inflamatório ou, até mesmo, cortisona.

As últimas horas foram de pavor para as esperanças dos GIANTS, pois a possibilidade de uma contusão dessas ser mais séria elevaria o veterano David Carr à condição de titular, o que é capaz de deixar de pé até mesmo os cabelos de uma pessoa careca. Isso em razão do momento da lesão. No lance, Manning fez um fake em um play-action, ocasião em que, ao pisar com seu pé direito no gramado, sentiu como se estivesse pisando numa estaca ou em algo pontiagudo. A jogada lembrou em muito a acontecida com o QB dos Jets, Vinny Testaverde, que o tirou da temporada de 1999, ainda no seu início.

Sendo assim, a declaração do Dr. Weinfeld resume bem o alívio de todos após o diagnóstico: "De todas as coisas que poderiam ser, certamente foi uma das melhores que poderiam ter acontecido". O próprio Eli disse que temia por algo muito pior no momento do lance, pois sentiu que algo estranho havia acontecido com seu calcanhar. O jogador disse que amanheceu a segunda-feira sentindo que não havia agravado a contusão, o que é um bom sinal. E que pretende estar em campo na próxima quarta-feira para os treinamentos, visando o jogo contra Oakland, sem qualquer tipo de restrição nos movimentos. Vale lembrar que Eli Manning disputou os últimos 89 jogos dos GIANTS. Prova de sua resistência a lesões aconteceu na última vez em que esteve ameaçado de não participar do jogo contra Green Bay pela segunda rodada de 2007. Uma semana antes, contra os Cowboys, Eli havia machucado o ombro e, segundo os médicos, ficaria um mês ausente da equipe. Aquilo não se confirmou.

De qualquer maneira, Carr está de sobreaviso para o caso de precisar iniciar seu 80º jogo como titular na NFL. "Já fiz isso antes, não será a minha primeira aventura. Tenho um grande time ao meu redor, isso é o mais importante. Penso que temos a melhor linha ofensiva da liga, além de jovens talentosos para fazerem as recepções, cheios de empolgação. Tive a chance de lançar um pouco para eles na pré-temporada e faço isso diariamente nos treinos. Só preciso ir até lá e fazer o meu trabalho".

Um comentário:

RBLazzarini disse...

Com todo respeito ao Carr.. mas.. Caso ele tenha que substituir, não boto fé que a gente passe muito pra frente.. Não sinto muita confiança nele.. E também, acho que Eli tem uma grande resistência [amor a camisa.. força de vontade.. acho que tudo junto] e isso ajuda muito nessas horas!